Como ter a disponibilidade criativa e lúdica de um anônimo construtor de castelos de cartas que se submete apenas às injunções do próprio medo (sagrado medo!) de que eles desabem diante dos seus próprios olhos?

domingo, 13 de junho de 2010

Entre Sítios (2)

(Para o Fouad Talal, do Versos de Cor)

Ah! Sim... O conteúdo das entranhas
é objetivo (ó eufemismo!)...
Já o cansa todo esse subjetivismo,
no qual o EU se mitifique
em currículo de dores, pessoal e aflito.

Havendo luz entre as suas têmporas
é o que ele transmite.







Clique, entre os vídeos relacionados, na 2ª parte.

34 comentários:

  1. Tudo a ver com o homenageado!
    Tudo a ver com o nosso irreverente Fouad, que é verdadeiramente um show!
    E você, Marcantonio, um show à parte...
    Grande abraço, meu amigo

    ResponderExcluir
  2. Zélia, realmente, o Fouad é um show de inteligência. E tem um blog personalíssimo, não é?

    Abraço, querida.

    ResponderExcluir
  3. Um poema perfeito para ele. Um poema perfeito.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Personalíssimo! Você encontrou a palavra exata... E quanto à inteligência, salta aos nossos olhos.
    Abraço, Marcantonio

    ResponderExcluir
  5. poesia, poesia e o filme do Jean Cocteau - o sangue dum poeta - é extasiante. tudo a ver:poe(I)magem.

    aqbração

    ResponderExcluir
  6. Marco, muito apropriado (achei a cara do Fouad). Esse menino é mesmo de uma inteligência e criatividade brilhantes.

    um beijo pra ti

    ResponderExcluir
  7. e se não há luz nas têmporas do fouad...
    bela homenagem, marcantónio! homenageias o poeta e o poema a própria poesia. entre poemas e poetas, acrescentaria!
    um abraço!

    ResponderExcluir
  8. Bem, falta-me conhecimento sobre o homenageado, mas já vi que a homenagem esteve à altura, pelos comentários. Eu de cá vibrei com o poema e com os vídeos: isso aqui está ficando imperdível sempre!

    Abraços, Marcantonio!
    Tânia

    ResponderExcluir
  9. Lara, é um poema impressionista, traduz a impressão que tenho dele e do blog. Quero, com esses Entre Sítios, expressar algo do que sinto dessas leituras que me fazem tão bem.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Obrigado, Zélia, pela resposta-reforço. Vale frisar bem isso.

    Com crescente admiração por você,

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  11. Assis, eu penso que o Jean Cocteau era um daqueles caras que costumam dizer "Prestem atenção porque eu só vou mostrar uma vez como é que se faz." Será que prestaram atenção? O Orpheo é f... O Satie tá aí pela irreverência de artista "arejado", e eu gosto muito da música do balé Parade.
    Se o Fouad vivesse há cem anos, seria dadaísta. Esses blogs...

    Abração!

    ResponderExcluir
  12. Andrea, o Versos de Cor têm muitas caras, no bom sentido, é claro. Se eu acertei em uma delas, bingo! Pluralidade é fecundidade!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Ô Jorge, obrigado. A gente tenta, intenta, atenta...

    GRANDE abraço!

    ResponderExcluir
  14. Tá me chamando de abajur cara?

    Gostei demais dos versos irmão! Algo como fazer das tripas, poesia.

    Abração!
    FT

    ResponderExcluir
  15. postei no fouad. transplanto pra cá:

    fouad,
    ficou bonitinha essa veadagem meio andy warhol (aquela famoooosa sessão marilyn) que cê fez com a foto do marquinho... rs
    e, na boa? quer saber? no roxo da batata?
    ó, prestenção...

    to achando bacana demais o que vocês estão fazendo, essa troca bonita de gentilezas, de carinho que é um tremendo exemplo pro mundo... isto alastra, bicho...

    amabilidade, fouad, esse trem tão bonito e que caiu no desuso...
    sim, porque tá na moda é ser truculento, viril, macho pra caráleo... escutar lixo...dar porrada verbal e de soco inglês (ja ouviu falar? rs)... não ler nadica de nada... ver tv até dar cãimbra nas retinas, distenção na íris... participar de campeonato de videogame... malhar músculos e cérebro em academias... fazer jiujitsu...

    sou peixe da contra-mão, véio... carro que anda contra a corrente...

    (mas, putz, o blog marquinho tá me deixando mais vulnerável do que naquele momento em que o faustão começa a contar a vida do caboclo antes da fama e o caçulinha dá os primeiros acordes no teclado mais tabajara do mundo...rs... negozinho desaba a chorar... e aí eu venho aqui e é a mesma atmosfera, esse lance do querer bem... de sorrir, cara... de querer abraçar todo mundo e cantar uma qualquer do roberto carlos)

    pô, va tomar banho.
    ja escrevi demais. daqui a pouco me debulho em choro...

    to mais é indo fazer duas horas de pilates e musculação na academia. mas antes preciso beber um energético...rs

    beijão, drico...

    nossa galinha tá marcadíssima. depois te passo o cronograma.

    fã de carteirinha dos dois, esse lá de açucena assina de trás pra frente aqui embaixo, ó:
    otrebor amil.

    ResponderExcluir


  16. FOUADmirável poeta o TALAL!

    Na toTAL(A)Lidade ELE é muito mais!

    Merecida home(m)nagem!

    ResponderExcluir
  17. Gostei de ler. Muito apropriado...

    L.B.

    ResponderExcluir
  18. Entre a simbologia de um querer e a fatal sensação de tê-lo brinda as dores em cores bem singulares a sua liturgia.

    Abs meu caro!

    ResponderExcluir
  19. Nada poderia lembrar mais o Fouad!

    A poesia em forma de vídeo e arte que ele sempre tem na ponta dos dedos.

    Parabéns pelas escolhas!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  20. Tânia, querida, vale a pena conhecer. Espaço de irreverência e criatividade o Versos de Cor. Se você diz que isso aqui tá imperdível, significa que posso contar sempre com a sua presença, o que me deixa pra lá de satisfeito.

    Abraço

    ResponderExcluir
  21. Fouad, sim. Com lâmpada de 500 W. Bem, respondi a você lá no Versos, já que você me aprontou aquele "revide". Rs.

    Abração, cara!

    ResponderExcluir
  22. Roberto, peraí (gargalhadas)... Não sei como você consegue escrever assim num comentário, ali na bucha! Bom demais!
    Amabilidade nada! É tudo vaidade. Afinal, quem reconhece o inteligente é o que? Rs.
    Falando sério, é uma forma de homenagear afinidades, leituras que me recompensam e me despertam, como lá no Primeira Pessoa, no Fouad, e em muitos outros.
    Você é grande, ô duas tubaínas!

    ABRAÇÃO!

    ResponderExcluir
  23. Tonho, acho que você é suspeito, já é quase sócio do Versos de Cor! Rs.
    Você está certo sim. Aliás, somos todos muito mais do que a palavra pode capturar.

    Abração!

    ResponderExcluir
  24. Lídia, bom vê-la aqui. Obrigado.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  25. Rod, obrigado, rapaz, pela presença e pelo comentário. Volte aí.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  26. Mirze, é um prazer vê-la aqui. Embora essas escolhas sejam sempre subjetivas, parece que acertei um pouquinho.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  27. marcantonio,
    duas tubaínas será o nome do meu primeiro romance...rs

    me aguarde....(to rolando de rir)

    abração, amigo.
    r.

    ResponderExcluir
  28. Ô Roberto, a gente vai fazendo um curso com você, aí dá nisso.
    Ainda não procurei saber o porquê do nome tubaína. Que soa bonito não há dúvida; parece nome de instrumento de orquestra... Rs.

    Abração do amigo.

    ResponderExcluir
  29. Tanto assim, Bípede? Ah! O que fazem com a palavra 'genial'! Rs.

    Um abraço carinhoso.

    ResponderExcluir
  30. Vi, na bela homenagem, o lúdico e perspicaz olhar tão presente na obra do Fouad. Leitura fidedigna. ;)

    Abraços

    ResponderExcluir
  31. Gosto muito dos seus versos e não sei mais o que escrever.

    bjs
    Rossana

    ResponderExcluir
  32. Rossana, e precisa mais do que isso? Obrigado!
    Beijo.

    ResponderExcluir